Que Deus vos abençoe a todos!

Nestes dias recebo, da parte de amigos de longa data e de outros que o passar dos anos vai reunindo, os tradicionais votos de “Boas Festas”, que quero, publicamente, agradecer, pois revelam que a distância e o tempo não apagam da memória os bons (e, por vezes, os difíceis) momentos que vivemos juntos.

Como sabem, eu não celebro o “Natal”. E isso deve-se a alguns motivos, que passo resumidamente a enumerar:

1. Jesus, a pessoa de que tanto se fala nesta data, não nasceu nesta altura;

2. Jesus nunca celebrou aniversários, nem nos deu essa orientação. Se isso fosse algo realmente importante certamente que essa orientação estaria na Bíblia e tal não acontece;

3. A “festa” que se faz em volta desta contraria tudo o que Jesus disse que devia ser o modo de vida dos seus seguidores. Grandes festas, prendas sem fim, nada disso faz parte dos ensinos de Jesus;

4. Todo este alarido é promovido por interesses comerciais;

5. Esta altura é também muito bem aproveitada pelos senhores que dominam o mundo, fazendo as pessoas acreditar que são muito solidários, passando o resto do ano a explorar os outros para fazerem caridade em Dezembro…

E não me alongo mais. Deixo aqui o link para um texto que escrevi no ano passado sobre este assunto, para os que tiverem curiosidade poderem aprofundar o seu conhecimento sobre qual é a verdadeira origem do “Natal”.

Claro que os vossos votos nada têm a ver com o que eu descrevi. São genuínos. É por isso que os agradeço. No entanto, concordemos, o frenesim que há em redor desta questão não em nada de religioso, não tem fundamento bíblico e é pura manipulação de forças poderosas que estão muito mais preocupadas com o seu bem-estar material que com o bem-estar do seu semelhante.

Peço a Deus que vos abençoe a todos com muita saúde e sabedoria. Saúde porque sem ela nada somos. Não há riqueza, nem poder que de alguma coisa sirva se não houver saúde! Sabedoria porque sem ela também não haverá muita saúde, muito menos bem-estar… E, nos tempos que correm, a sabedoria é um bem raro e preciosos. Quem dela possui um pouco, que faça dela bom uso! Ela vai-lhe permitir ver a luz que se vê lá, bem ao fundo do túnel…

Que Deus vos abençoe a todos!

Sobre a magia do Natal…

Recentemente, e em resultado do espírito geral desta época, fui levado a pensar que o título dum texto elaborado por alguns alunos da escola onde lecciono – A Magia Natalícia – tem realmente o seu sentido.

Alguns alunos e colegas também me questionaram quanto à minha posição perante esta celebração, chegando, os primeiros, a pedir que escrevesse algo sobre o assunto.

Permitam-me, então, que parti-lhe alguns pensamentos convosco, através do texto que podem ler aqui: Sobre a magia do Natal. (Vai precisar do Adobe Reader. Pode fazer a sua instalação a partir daqui: Adobe Reader.)

Para os que acham que esta coisa da religião é de somenos importância, acreditando que a ciência explica tudo, eu lembro as humildes palavras dum cientista famoso, que disse qualquer coisa parecida com isto: É necessária uma fé, quiçá muito superior àquela duma pessoa religiosa, para se crer nas explicações da ciência para assuntos como a origem do universo ou da vida…

Mas, por favor, não tomem as minhas palavras como boas. Procurem, questionem-se e questionem. Só assim encontrarão as respostas para as questões mais importantes.

A todos: que Deus vos abençoe.

Nota: Estes pensamentos são somente isso. Não se tratam de julgamentos, e muito menos pretendem ofender alguém. Não é esse o seu objectivo. É um conjunto de pensamentos que questiona alguns mitos enraizados em várias sociedades, alimentados pelo que considero ser o desconhecimento da verdade bíblica, induzido propositadamente pela hierarquia religiosa dominante.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑