A minha Suzuri Stone e o Sumi Ink Stick

P_20180227_215410

Chegou hoje, finalmente, a minha Suzuri Ink Stone!

Em conjunto com o Sumi Ink Stick, irei ter o prazer de poder usar uma das tintas mais antigas ainda ao dispor da humanidade, de cujo Património Imaterial faz parte: a Sumi Ink.

Como o próprio nome indica, é tudo material vindo do Oriente. É algo parecido, — mas não igual — , com a Tinta da China, só que em estado sólido.

Repararam na pintura do stick de tinta?!

MIAA – Monstruoso e Ignominioso Atentado a Abrantes

Sou abrantino. Nasci nesta bela e calma cidade e cada casa, cada monumento, cada rua estão-me gravados na memória, que espero preservar. O Convento de S. Domingos faz parte de mim, como deve fazer parte de todos os abrantinos. É o meu braço, a minha perna, a direita, a esquerda, sei lá! Sou eu! Está em mim! Ao longo dos anos teve muitas funções. Teve obras. Gosto imenso da nossa biblioteca. O parque de estacionamento beneficiou a zona. A paisagem é magnífica. Apanhava ali o autocarro. Todos os dias, enquanto estudante. Andava por ali. Agora, quando posso, levo a família à biblioteca onde as simpáticas funcionárias se espantam com o seu crescimento. Agora isto! Querem tirar-nos o céu! Construir a horrífica e monstruosa estrutura para o MIAA . Quem o projetou não é de Abrantes. Não pode ser! Não consigo explicar este vazio, esta angústia que me invade. É como se me fosse amputado um membro ou para todo o sempre me fosse imposta a obrigatoriedade de arrastar comigo a coluna roubada a um qualquer monumento como punição para um crime que nunca cometi. Porque não fazem algo semelhante junto do Templo Romano no centro de Évora? Há ali um jardim com espaço suficiente… (Sabem que os eborenses ainda hoje choram a destruição que permitiram que fosse feita à sua cidade. Aqueles magníficos monumentos que hoje podemos visitar são o que sobrou, como memória duma monumentalidade muito superior.) Merece a nossa cidade menos respeito?! Custa-me que abrantinos aceitem esta ignomínia. Será que o são?

Entenda-se que eu não sou contra a instalação do MIAA (Museu Ibérico de Arqueologia e Arte) na nossa cidade mas, com tanto espaço que temos, terá de se fazer a sua construção no centro histórico da cidade onde, a cada cavadela, estarão a destruir documentos de séculos da nossa história?! Não deixa de ser irónico que o museu de arqueologia se converta num atentado àquilo que parece defender. Ou será que pretende ser uma lápide fúnebre?

Era preferível que não ficasse gravado na nossa paisagem como o maior e mais Monstruoso e Ignominioso Atentado a Abrantes – MIAA.

Fotos do projeto e petição.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑