Um mês de “bulletjournaling”

Porque pode dar jeito a alguém interessado, aqui fica um breve relato do que foi o primeiro mês de utilização do meu Bullet Journal, BuJo para os amigos…

A minha utilização deste versátil tipo de agenda/caderno de anotações permitiu-me efectuar, ao longo deste mês, uma melhor e mais fácil organização pessoal e profissional. Representou uma maior facilidade em manter um registo organizado das minhas várias actividades/tarefas e a sua utilização resultou na eliminação total de papéis soltos com notas ou listas de tarefas a realizar e numa maior objectividade na análise do que é realmente prioritário e do que não é.

Para se ver que este tipo de agenda/caderno de anotações realmente funciona, aqui fica um simples exemplo: as notas que deram origem a esta publicação, que agora partilho convosco, estão espalhadas por várias páginas separadas do meu Bullet Journal, mas estão absolutamente bem organizadas, não estragando quaisquer outros apontamentos e foram extremamente fáceis de localizar!

Para que tudo isto fosse possível, foi necessário efectuar algum investimento de tempo inicial, como acontece com qualquer novo projecto, para encontrar o que realmente funciona para mim. Foi, também, necessário investir algum tempo na concepção e na execução do  meu BuJo.

O tempo investido no desenho e na execução do BuJo e do seu companheiro mais pequeno, o caderno de apontamentos, é, porém, parte importante do prazer do “bulletjournaling”, para quem gosta deste tipo de coisas. Quem não gosta, pode saltar esta parte… Já agora, o pequeno caderno de apontamentos não faz parte do Bullet Journal. É um simples caderno de apontamentos que substitui o BuJo, quando não for prático levar o irmão maior…

Agora, passado que está o primeiro mês de utilização, é só fazer algumas afinações e continuar a usar… Porque o que é bom e está bem feito dura… E dura… E dura…

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑