Feeds:
Artigos
Comentários

Centros de Ciência Viva

Para quem não sabe, aqui fica uma sugestão muito interessante para os apreciadores da cultura, história, ciência, arqueologia, geologia, etc…:

http://www.mediotejo.net/alcanenaconstancia-ciencia-viva-lanca-cartao-de-entradas-gratis-e-descontos-cvideos/

A não perder!

Recentemente, na tentativa de encontrar um sistema que me permitisse organizar as minhas notas e compromissos, descobri, na Internet, o Bullet Journal.

Este sistema não é mais que uma forma de criarmos a nossa própria agenda, de modo a que ela corresponda às nossas necessidades, baseada em símbolos e em curtas notas.

O sistema foi criado/desenvolvido por Ryder Carroll e pode ser aplicado a qualquer caderno, sendo completamente flexível. E esta é a sua principal e mais importante característica: a flexibilidade e/ou adaptabilidade.

Uma simples pesquisa no Google por “Bullet Journal” ou “BuJo” devolve uma enormidade de resultados, dos mais simples aos mais elaborados, o que revela bem a sua flexibilidade e utilidade.

A investigar por todos aqueles que têm dificuldades em encontrar um sistema simples que lhes permita organizar as suas vidas.

As duas companheiras, da Kaweco, as Kaweco Sport, andam em circulação desde os anos trinta do século passado! Podem ver a sua história aqui. São duas canetas de tinta permanente, extremamente leves e facilmente transportáveis, que cabem em qualquer bolso e estão sempre a postos para tomar qualquer nota.

Quanto aos cadernos, eles estão agrupados numa capa de cabedal, feita por mim, e têm a característica de terem papel  espectacular para escrever com canetas de tinta permanente. É um notebook durável e recarregável, logo, extremamente amigo do meio ambiente.

Deixo mais dois links que podem ser úteis: My Life All in One Place e Tiny Ray of Sunshine.

Fiquem bem e, caso tenham gostado de alguma das ideias, usem-na.

Divirtam-se!

 

Apesar de ter lido alguns comentários muito positivos sobre estes dois artigos, não há nada como sermos nós próprios a fazer a sua avaliação, “ao vivo e a cores”, sob as condições mais difíceis, as do dia-a-dia, para vermos se a sua qualidade está à altura do que as marcas defendem.

Pois bem, ontem foram efectuados 100 kms de teste a estes dois itens, com a estrada molhada, suja e, em alguns sítios, com lama e debaixo de chuva.

Os pneus Heidenau K66 Wintex não se podiam ter portado melhor, mantendo a sua trajectória sem qualquer desvio ou hesitação, revelando uma aderência exemplar neste piso difícil e transmitindo uma sensação de segurança, curva a seguir a curva, que outros não conseguiram fazer com a estrada seca. Sem qualquer dúvida, a qualidade alemã sente-se!

Quanto às protecções para as mãos, foi outro teste superado com distinção. Mãos absolutamente secas e quentinhas, apesar da chuva e de algum frio que se fazia sentir.

Sendo dois componentes fundamentais para a condução em segurança de qualquer motociclo, não será necessário enfatizar quão importantes são uns pneus de qualidade, que confiram segurança à condução em condições em que o piso se apresenta mais difícil, tal como as protecções para as mãos que permitem que estas se mantenham em condições de comandarem o veículo a 100%, apesar do frio ou da chuva, que facilmente podem fazer com que as mãos percam a sua sensibilidade.

Tenho companheiros para os próximos Invernos! Boas curvas!

 

Aí está a máquina, prontinha para as temperaturas mais baixas e para a estrada molhada.

Para os interessados: pneus Heidenau K66 Snowtex e Oxford RainSeal muffs.

Boas curvas!

Dois anos volvidos…

IMG_20170130_175431.jpg

É verdade, já se passaram mais de dois anos desde que comecei a usar estas ferramentas e estes produtos tradicionais para fazer a barba e, desde que comecei, nunca mais olhei para trás! E, sejam quais forem as variações, a qualidade dos produtos garante sempre um resultado excelente! Muito ao contrário das opções que fazem questão de descurar os bons e duradouros produtos tradicionais.

Boas barbeações!

What a beautiful ink test!

This is Suzy

When I think of sepia ink, I think of a deep, rich walnut tone. Visions of antique documents and intricate scrimshaw come to mind. Diamine Sepia is different. It isn’t the color of centuries-old writing, but more the color of the parchment it’s written on. It is a gorgous, warm butterscotch shade. In fact, if it were my ink, I would have named it just that. Butterscotch. I can’t look at this ink without craving a butterscotch ice cream sundae, complete with crushed peanuts, fresh whipped cream and a cherry on top!

Now that I’m hungry, I’ll simply post my review and let you be the judge. Either way, it’s beautiful! A full bottle of this is definitely in my near future!

Diamine Sepia

Written with: Noodler’s Konrad Flex Pen & Kuretake brush pen w/water

Written on: Ivory Clairefontaine (Quo Vadis journal) & 32# HP inkjet paper, bright white

In…

View original post mais 33 palavras

An old pleasure…

img_20170102_200701

img_20170102_200816

E não há nada como algumas ferramentas antigas…